quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Crítica: Jogos Vorazes: A Esperança - O Final

E assim termina mais uma saga. Sem palavras para descrever o quão incrível e fantástico foi acompanhar o desenrolar da trilogia (ou quadrilogia?) cinematográfica. 


É difícil falar sobre a segunda parte de A Esperança sem mencionar o filme anterior. Pois bem, em  A Esperança - Parte 1 a guerra estava começando, após o Massacre Quartenário, que se revelou um estratagema, o Distrito 12 fora bombardeado e poucos sobreviveram; a população de Panem se dividiu além de seus distritos e como centro de comando da revolução estava o até então extinto Distrito 13, presidido por Alma Coin. Katniss se tornou oficialmente o Tordo, simbolo da revolução, seu papel era manter acesa a chama da revolta e levar esperança aos cidadãos, enquanto isso Peeta estava sob o controle da Capital, sendo torturado e usado como oposição a Katniss. O filme seguiu em ritmo frenético, cheio de altos e baixos, uma trilha sonora incrível... e então o final chega como um pause mal feito, daqueles que damos antes de correr para o banheiro.

A segunda parte começa a partir deste ponto, como se o filme não tivesse parado, o que aturde um pouco pela rapidez. Katniss continua confusa em relação a Peeta e Gale, o desenrolar de seu triângulo amoroso chega a ser cômico e facilmente esquecível. Pouco se vê do Distrito 13 e da guerra nos demais distritos, porém acompanhamos o Esquadrão 451, formado pelos vitoriosos e a equipe de filmagem, diretamente nos confrontos, enquanto se infiltram cada vez mais no centro da Capital. Muitas mortes acontecem com ritmo acelerado, em meio a cenas de ação e luta (muito bem executadas, diga-se de passagem) o que impede o espectador de acompanhar todas elas e sentir falta de um ou outro personagem.


Os efeitos especiais foram ótimos, com a morte de Philip Seymour Hoffman durante a gravação da sequência, algumas adaptações foram feitas, como a distribuição de suas falas a outros personagens e sua participação reduzida a imagens computadorizadas, nada que desagradasse ou chamasse muita atenção. A trilha sonora foi outro ponto forte, muito sutil e eletrizante nos momentos certos.


Diferente do filme anterior, este começa a todo vapor e vai diminuindo a velocidade até sermos levados a um desfecho suave, delicado e sutil, até demais para uma personagem como Katniss. O longa é altamente fiel ao livro, o que é ótimo para os fãs mais exigentes, as poucas alterações não incomodaram e as cenas adicionais só enriqueceram. A única coisa que incomodou um pouco foi a tranquilidade  com que Katniss lidou com sua perda mais importante. O final tem algumas surpresas e deixa um grande vazio, uma sensação de "e agora?", como se algo ainda faltasse, porém é consolador ver que ainda há um futuro para os sobreviventes.


Ficha Técnica:
Título original: The Hunger Games: Mockingjay - Part 2
Duração: 136 minutos
Lançamento: 18 de novembro de 2015 (Brasil), 20 de novembro de 2015 (estréia mundial)
Sinopse: Com a nação de Panem em uma guerra de grande escala, Katniss Everdeen enfrenta o Presidente Snow em um confronto final. Junto de um grupo de seus amigos mais próximos - incluindo Gale, Finnick e Peeta - Katniss sai em uma missão com a unidade do Distrito 13, a medida que eles arriscam suas vidas para libertar os cidadãos de Panem, e encenar uma tentativa de assassinato contra o Presidente Snow, que se tornou cada vez mais obcecado com a destruição dela. As armadilhas mortais, os inimigos e as escolhas morais que esperam por Katniss irão desafiá-la mais do que qualquer arena que ela enfrentou.
Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Donald Sutherland, Sam Claflin, Woddy Harrelson, Julianne Moore, Jena Malone, Stanley Tucci, Philip Seymour Hoffman

2 comentários:

  1. Olá!

    Demorei um pouco para vir aqui ler, estudar para concursos está me deixando louca ahahhahaha
    Enfim, adorei a tua crítica, muito bem feita. Você conseguiu apontar os pontos mais importantes e situar o leitor com relação ao filme anterior. Aliás, eu adoro ler críticas de filmes, ainda mais tão bem feitas. Acredita que eu nem reparei na trilha sonora? Eu estava tão vidrada no filme que nem percebi as músicas.

    Parabéns pela crítica!

    ~Jéssica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKKKKKKKKKKKKK
      Obrigaaaaada :*
      Aaa, eu quando assisto um filme entro na história e presto atenção em tudo, por isso poucos filmes são ruins p/ mim, dá p/ ver o lado bom de todos :P

      Excluir