segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Resenha: Maze Runner - Prova de Fogo

O post devia chamar "Como Fiquei Deprimida Assistindo Maze Runner".  Decepção define.
Não sou a maior fã de Maze Runner e com esse filme deixei de ter grandes expectativas com a série. Minha relação com Maze Runner é de amor e ódio, gostei bastante dos dois primeiros livros, mas odiei tanto o ultimo que não tive coragem de ler Ordem de Extermínio e Arquivos. Quanto aos filmes, o primeiro não foi lá essas coisas, ficou na média, apostei que o segundo seria melhor e adoraria dizer que o filme ultrapassou minhas expectativas... só que não. Talvez por ter me prendido muito aos livros acabei não entendendo muito do filme, fiquei bem confusa e provavelmente terei que assistir novamente. 



Após serem resgatados do Labirinto e ainda com as memórias apagadas, os Clareanos são levados à uma base do CRUEL, onde são acolhidos, medicados e bem alimentados, junto com outros jovens que também faziam parte do Labirinto, porém não o mesmo labirinto. Coisas estranhas começam a acontecer na base, todas as noites os sobreviventes são chamados para "iniciar uma nova vida" e nunca mais voltam, isso chama a atenção de Aris (um dos que estava em outro labirinto) e logo avisa Thomas, que decide alertar os outros.
Então começa a corrida. A partir deste ponto o filme não para, os personagens fogem da base e nos é mostrada a realidade desse mundo pós-apocalíptico. As cidades sumiram e se tornaram um enorme deserto, a população foi reduzida, em sua maioria, a cranks e os que ainda não se tornaram cranks. Perseguidos, os Clareanos vão à procura de um grupo de oposição ao CRUEL, chamado Braço Direito, escondido nas montanhas além do deserto.



O filme cumpre o que promete, é bem corrido, os personagens estão sempre fugindo e se deparando com desafios maiores, grandes cenas de ação acontecem e não decepcionam, porém muitos personagens somem em cena, Newt e Minho tiveram suas participações resumidas a falas simples de ação, isso sem falar em Teresa, que aparece apenas como espectadora. Então temos a inclusão de mais dois personagens, Brenda e Jorge, ambos tiveram mais destaque que os Clareanos e Brenda se torna especial para Thomas, sem motivo aparente. 
Os efeitos especiais foram de longe a melhor parte, os cranks não são exatamente zumbis, são muito mais que isso e a aparência deles é assustadora. 



O caminho que o filme levou foi bem distante do livro, o que é perigoso, já que muitas coisas perdem o sentido e para os que leram os livros, como eu, é fácil se perder. Claro, é uma adaptação, mas muitas pontas ficaram soltas, por exemplo, como aquelas moças chegaram até o Braço Direito? Isso não foi bem explicado. (Ou foi eu não prestei atenção? Quem souber deixa nos comentários).

Bom, assistirei o próximo filme, mas não estou tão ansiosa, agora sei que continuará bem diferente do livro e quem sabe isso o torne melhor?

Ficha Técnica:
Título Original: Maze Runner: The Scorch Trials
Duração: 131 minutos
Lançamento: 17 de Setembro de 2015
Sinopse: Thomas e seus companheiros Clareanos vão encarar seu maior desafio até agora: procurar por pistas sobre a misteriosa e poderosa organização conhecida como C.R.U.E.L. Sua jornada os leva até O Deserto, um cenário desolado repleto de obstáculos inimagináveis. Unindo-se com lutadores da resistência, os Clareanos desafiam as forças superiores da C.R.U.E.L. e descobrem seus terríveis planos para todos eles.
Elenco: Dylan O'Brien, Thomas Brodie-Sangster, Ki Hong Lee, Kaya Scodelario, Giancarlo Esposito, Rosa Salazar, Aidan Gillen, 

Um comentário:

  1. Oiii!! Sei que deve fazer tempo que você publicou esse post, mas...
    Eu também fiquei muito descepicionada com o filme. Também me prendi demais ao livro e por isso tamanha decepção. O diretor do filme adiantou muito coisa que será de suma importância no 3*filme.
    Os Cranks me assustaram demais, acho que foram buscar no mundo de TWD.
    Como leitora e telesoectadora esperava mais do filme. Foi bom, para um novo filme e não a adaptação do livro.

    Eu fiquei com muita raiva do 3*livro, mas dei uma chance para Ordem de Extermínio, e confesso que gostei.Lê também Arquivos, como diz, são apenas arquivos do CRUEL

    ResponderExcluir