quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Resenha: O machismo por trás de The Bletchley Circle

Primeira resenha do ano! É isso mesmo? 
E também uma das mais legais... Talvez. Ou não... Bom, o que importa mesmo é que a série é legal e vou tentar trazer isso para essa resenha.


Em 1943, durante a 2ª Guerra Mundial, um grupo seleto de mulheres trabalha em segredo para o governo britânico na Bletchley Park, decifrando mensagens criptografadas pela máquina Enigma - máquina criada pelos alemães, que continham informações importantes sobre estratégias e os locais de novos ataques com bombas. Nesse grupo, quatro mulheres com talentos distintos se destacam: Susan é especialista em matemática, Millie é poliglota, Lucy tem uma memória brilhante, capaz de guardar datas, nomes e eventos e Jean, uma mulher de grande reputação e acesso à documentos importantes. 

Nove anos após o fim da guerra essas mulheres se adequaram ao papel que a sociedade impôs a elas, como mães e esposas. Susan, porém, não deixou de lado sua capacidade de decifrar enigmas e, acompanhando as investigações da polícia pelo rádio, percebe um padrão nas mortes de quatro mulheres. Ao levar a informação à policia e não obter a atenção que precisava, Susan reúne seu antigo grupo de trabalho para juntas encontrar o assassino.


Essa série é fantástica! Eu falo muito isso, mas realmente é. Além do mistério e do suspense que essa série transmite, há por trás uma grande mensagem subliminar, em um enorme letreiro luminoso, a respeito do papel da mulher na sociedade. Susan, Millie, Jean e Lucy passam grande parte da série correndo contra o tempo a todo vapor para solucionar os crimes, encontrar o assassino e ainda cumprir seus afazeres domésticos e sociais, já os homens, responsáveis pela investigação, ignoravam as novas descobertas que Susan lhes entregava e faziam apenas o necessário, o que eram obrigados e desfrutavam de sua posição, como homens e chefes de família

Apesar das mulheres terem assumido grandes responsabilidades durante as duas guerras mundiais, apenas pela falta de homens para assumir o trabalho, e mostrado que são tão capazes quanto eles, em 1943 elas ainda são tratadas com desdém e vistas como incapazes de trabalhos "masculinos" - qualquer trabalho que não fosse doméstico era masculino. 


E assim, um retrato fiel da sociedade dos anos 40 foi feito e confesso, várias vezes fiquei possessa em ver a humilhante submissão das esposas aos maridos, a ridicularização por parte dos homens, o abuso e também o tratamento revoltante que as pessoas da época davam à violência doméstica. A luta por direitos voltou com força, nunca o feminismo foi tão debatido como agora, mas sua popularização, ao invés de fortalecer ainda mais o movimento, acabou sendo escarnecido e tratado com indiferença, como mimimi pelos "grandes pensadores de facebook". Se hoje temos direitos fundamentais como o voto é por causa dessas mulheres que "estavam de mimimi". 

Aqui no Brasil, embora muitos acreditem que a igualdade de gênero foi conquistada, a cada dia isso se prova o contrário. Vivemos num mundo onde coisas simples como palavrões, em sua maioria, são proferidos contra mulheres; os homens não são nem mesmo atingidos por esses insultos, sendo eles contra sua esposa, mãe ou irmã (vide filho da puta, vadia, vagabunda, corno, chifrudo, puta, piranha, cachorra, filho de quenga, e outras tantas combinações), obviamente isso não é um sinal de igualdade.


A série tem apenas 2 temporadas, um total de 7 episódios e, infelizmente, não foi renovada para a 3ª, mas suas duas temporadas estão disponíveis no Netflix. \õ/ \õ/ \õ/
Para quem se interessou, tá aqui um trailer curtinho da série ;) 


RIP Alan Rickman
1946 - always 
Ficha Técnica:
Título Original: The Bletchley Circle
Lançamento: 6 de setembro 2012
Sinopse: Susan, Millie, Lucy e Jean ajudaram a decifrar o código nazista, mas se separaram após a guerra. Fartas de serem subestimadas, elas decidem reunir a equipe para encontrar um assassino que está aterrorizando Londres.
Elenco: Anastasia Hille, Anna Maxwell Martin, Julie Graham, Mark Dexter, Michael Gould, Rachael Stirling, Simon Williams, Sophie Rundle

30 comentários:

  1. Caramba, parece ótima! Uma outra série com uma importante personagem feminina é Quantico, amo demais e acho que você deveria assistir ♡ Vou procurar agora mesmo The Bletchley Circle :)

    www.tobemzen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca, já vi trailer dessa série, passa no AXN não é?
      Mas ainda não consegui assistir, vou ver a situação dela depois, num gosto de ficar esperando lançar os episódios :P
      Procuraaa e bota todo mundo p/ assistir ;)
      Bjoo :**

      Excluir
  2. Ai ai, desta época, eu só retiro de bom a moda e os penteados, pq a posição da mulher na sociedade e mesmo dentro de casa eram algo inimaginável para mim. Acredito que a série mostrou de uma maneira nua e crua como elas eram tratadas, para você fazer um post expressando o que sentiu ao ver, Carol. Incrível como mulheres com tantos atributos intelectuais ainda são menosprezadas atualmente.
    Vou anotar essa série para assistir - quando eu terminar Breaking Bad! Beijinhos, e continuemos a lutar por nosso espaço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de ser uma série de suspense e mistério, tem esse lado da desigualdade, achei um absurdo, precisei passar isso no post, porque é um assunto que está sendo debatido, na minha opinião, de forma errada. Ver que muitas das coisas presentes ali, ainda acontecem hoje é assustador. Evoluímos sim, mas não foi o bastante, ainda há muito o que melhorar.
      Espero que você assista e me diga o que achou ;)
      Bjoo Maíra :***

      Excluir
  3. Olá!
    Adoro histórias assim, com uma pegada histórica e inteligente. Vou procurar agora!!

    Adorei seu blog também, já estou seguindo.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aEEEEEEEEEEEEEEE assiste siim :DD
      É uma série muito boa, com poucos episódios, dá p/ ver um dia :P
      Espero que goste ;)
      Bjoo :**

      Excluir
  4. oi, oi.

    ai, gente! a série parece ser ótima e bem no estilo do filme "o jogo da imitação", né? se a gente for reparar bem, naquela época, o povo quase não dava moral pra quem era esperto, inteligente... veja só o que aconteceu com o Alan Turing.

    já to colocando a série na listinha pq, poxa, só 7 epis? verei sim! vlw pela indicação.

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooi Adriel, beleza???
      Exatameente, ia citar o filme mas acabei esquecendo. É exatamente isso, mesmo período, mesma maquina e mesmo tratamento ridículo a mulheres e homossexuais ¬¬'
      A história do Alan me revoltou logo no começo da faculdade, depois ver o filme e ver tudo o que eu tinha lido na tela, foi chocante. Odiei
      KKKKKK pois é, séries inglesas são assim =/ (mas amo mesmo assim <3)
      Bjoo :**

      Excluir
  5. Fiquei muito curiosa com a série!
    Adoro um mistério e personagens femininas fortes. Com certeza vai ser a próxima que vou assistir!
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então com certeza irá gostar muito dessa série :D
      Mistério, suspense e mulheres que mostram a que veio, muito bom!
      Assiste e depois diz o que achou =3
      Bjoo :**

      Excluir
  6. Adorei sua resenha. E é triste ver que o que acontecia nos anos 40 ainda acontece. Mesmo nós, mulheres, conquistando novos direitos ainda somos muito menosprezadas pela sociedade. Enfim, gostei da história e por que tão poucos episódios? Vou colocar na lista do netflix. Bjs

    oh, wow, lovely ❁

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, ridículo né??
      O que me deixa mais brava é ver um bando de gente dizendo que essa busca por igualdade é besteira, sendo que, muitas vezes, as próprias mulheres sabotam essa luta ¬¬
      Eu me pergunto isso também, por que não fazer uma temporada com pelo menos 13 episódios? poxa! E Sherlock que tem 3?? (às vezes 4, se tiver especial de Natal)
      Pode botar e assistir com todo mundo que é ótima ;)
      Bjoo :**

      Excluir
  7. Adorei a resenha, gosto de histórias assim!!

    Dá uma passadinha no meu blog? Heheh, tem surpresa por lá!

    http://saviaandrade.blogspot.com.br/2016/01/canal-no-youtube.html

    ResponderExcluir
  8. Preciso assistir!
    Sua resenha ficou ótima e estou morrendo de vontade de assistir agora haha
    É interessante saber como era a sociedade tantos anos atrás e também perceber que muitas coisas permanecem, um pouco mais disfarçadas ou não. Machismo existe sim na nossa sociedade, e muito, infelizmente escuto muita gente falar que feminismo é besteira, inclusive mulheres!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    eu estava justamente procurando séries "menos conhecidas" e curtinhas para assistir e já vou colocá-la na minha lista. Fiquei bem interessada em conhecer a sociedade daquela época, ver o papel da mulher, analisar e tudo mais.

    - Entretanto -

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *----------*
      Então essa é a série p/ você :D
      Espero que assista e goste tanto quanto eu <3
      Ainda não sei como proceder com a morte do Alan, é tão surreal, ainda estou realmente triste D:
      Bjoo :*

      Excluir
  10. i just follow your blog.nice post.
    www.beautyisallaround6.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Nossa, achei bem interessante. Sou feminista, e mesmo não sendo ativista, acredito que as mulheres precisam abrir os olhos para a nossa capacidade. É triste saber que, além do tanto de homem machista que existe no mundo, ainda existem as mulheres que tem o mesmo tipo de comportamento, são oprimidas e ainda acham que é tudo normal. É esse tipo de série que deveria ser apresentada nas televisões, e não outras que só servem para aumentar o regresso do país. Com certeza vou assistir nessas férias!

    Beijoos ♥ @born.to.bae
    Meu Skate Rosa | Visite-nos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você em número, gênero e grau, Marya. Nada pior que mulheres pró-machismo, numa luta que é em beneficio de todas. Esse é um assunto que normalmente evito p/ não dar treta, mas essa série me pegou desprevenida e não deu p/ ignorar, uma coisa que precisa ser pensada, discutida e levada a sério
      Assiste siiim moça, espero que goste <3
      Bjooo :**

      Excluir
  12. Olá, tudo bem?
    Não conhecia essa série, nem por nome, mas achei a premissa bem interessante. Gosto de séries que mostram mulheres (tentando) conquistar seu espaço e que tem de grande importancia histórica. Otima dica.

    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi, Sil, tudo bem e você??
      Que bom que se interessou pela série, espero que assista quando possível, não vai se arrepender, garanto (ou seu dinheiro de volta... Oo) :P
      Bjooo :**

      Excluir
  13. Não tinha conhecimento sobre essa série, e achei fantástica a ideia! Uma dica muito boa, e ótima para entender melhor o feminismo e não o que se pregam nos faces da vida. Vou procurar para assistir já! <3
    versos-de-inverno.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE Tauani =3
      Exatamente isso que quis passar no post. Não adianta nada sair deduzindo coisas as avessas e depois vomitar besteira pelo teclado no facebook, certo? Tem que ler e refletir, buscar referencias e formar opinião... bem difícil nesses dias ¬¬
      Assiste siiim moça e me fala depois o que achou *---*
      Bjoo :**

      Excluir
  14. Em apenas três postagens percebi a sua esquerdisse, Carol. Apoio a "causa negra", feminismo, apoio a causa gay (com esse Drag não sei o quê)... Só falta postagens em defesa dos animais e de como é bom ser vegetariano. Faz humanas também? É lésbica? Kkkkkk Brincadeiras a parte, acho que deveria separar a militância, do teor do blog, foge da ideia principal.

    Voltando ao assunto do feminismo, vocês querem mais quais direitos? Direitos sobre a vida e a morte? Quais são as bandeiras do feminismo? Legalização do aborto? Direito de andar quase pelada e não ser advertida por isso? Direito de "dar" pra quem e quantos quiser? Chega a ser engraçado a forma como colocam uma besteira como o maior problema do mundo, as mulheres oprimidas. Na mente limitada de uma feminista, todos são canalhas de marca maior, opressores e que estão na vida delas para barrar seu crescimento. Abra os olhos e veja que nem tudo na vida são flores, nem para os homens, nem para as mulheres. A vida é dura para ambos.

    Feminismo é algo que não ajuda vocês, mulheres e, não agrega em nada, se tornaram piada. São loucas de pedra!

    ResponderExcluir
  15. A série é excelente, vale a pena assistir.

    ResponderExcluir
  16. Corrigindo rapidinho: a especialidade da Millie nao é ela ser poliglota, ela diz no segundo episodio que é mestre em leitura de mapas :D

    ResponderExcluir
  17. verei essa ... Agent Carter tem essa vibe (pena que foi cancelada)

    ResponderExcluir